ÚLTIMAS:

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Paganismo Piaga: A espiritualidade Vilapaganense

 

Espírito "Piaga Alado", representação
encontrada em gravura rupestre piauiense
O esquema da imagem acima demonstra a disposição de um sistema de culto endêmico da Vila Pagã, intitulado "Paganismo Piaga". A Vila é uma comunidade de pagãos localizada no interior do Piauí, próxima da capital Teresina. Com particularidades relativas às fronteiras culturais, geográficas e sociais piauienses, bem como particularidades na forma que o movimento neopagão se instalou e ganhou força no Estado, surgiu a proposta de uma nova forma de organização e intercâmbio entre as diferentes tradições e cultos pagãos existentes entre os integrantes da Vila Pagã. 

Nesse sistema, qualquer imposição de uma tradição sob a outra é desconstruída, de forma que diferentes cultos são postos lado a lado e unificados por um sistema que não é sincrético, mas sim eclético, essencialmente dinâmico e diversificado. 

Culto Piaga ao Deus Robigus
Cada adepto tem suas particularidades espirituais e sua ancestralidade respeitada, de forma que não há impedimentos para práticas de intercâmbio com cultores de outras tradições. Todos passam a fazer parte de uma tradição maior, unificada, integrada, diversificada, que é unida pelo que pode ser denominado de "Culto Piaga". 

Há duas correntes específicas neste culto: "corrente da terra" e "corrente colona". 

A corrente da terra se divide em várias linhas de culto, onde são cultuados os espíritos e divindades da terra (relativo ao Brasil, no caso específico, o Piauí). 



Na corrente colona também há várias subdivisões de cultos "independentes", mas que possuem o diferencial de ter o culto piaga como agregado. Ou seja, todos honram os ancestrais da terra, independente dos ancestrais de sangue ou do panteão com o qual possui maior afinidade. 

Cada "piaga" pode ter foco em um culto específico dentro da corrente colona, mas também pode honrar os Deuses independente do panteão ou corrente. Apesar disso, cada culto tem seu momento dentro do calendário litúrgico. 

A individualidade e a diversidade são unidas por um sistema que preza essencialmente pela harmonia coletiva entre pagãos dentro de uma mesma comunidade. Para direcionar os cultos e atividades de cada culto dentro da corrente colona, um "sacerdote" é designado para ser responsável pela liturgia pública do seu culto específico. 

A diversidade de cultos dentro do paganismo piaga permite a identificação dos adeptos de múltiplas formas, por exemplo: pagãos piagas com foco no culto romano, pagãos piagas com foco no culto egípcio/ou kemético; pagãos piagas com foco no culto nórdico; ou simplesmente pagãos piagas, livres dentro do rico universo de possibilidades desse amplo sistema. 

Culto à Deusa Bast na Tradição Piaga
Os adeptos do paganismo piaga resgatam a ancestralidade da terra através de pesquisas sobre a própria história e também através de práticas que buscam a reconexão com a sacralidade individual e com a natureza. Além de Deuses estrangeiros, também são cultuados os Deuses e espíritos do Brasil, que eram celebrados pelas populações nativas.

Quanto aos rituais, consistem em momentos de conexão com Deuses específicos, com objetivo de agradecer, honrar ou fazer algum tipo de pedido. Os ritos piagas incluem orações, cantos, danças ou gestos e, por fim, as oferendas que são entregues aos Deuses. 

Quem conduz o rito faz uma saudação aos ancestrais piagas e aos Deuses honrados na ocasião. Cada divindade recebe uma oferenda específica, que pode ser desde alimentos até objetos confeccionados pelos adeptos. As ofertas são entregues sempre em ambientes da própria natureza, altares ou cumbucas domésticas. Não há sacrifícios de sangue ou despejo de objetos poluentes na natureza.

Não há um panteão único cultuado pelos piagas, mas sim um amplo leque de divindades com origens geográficas e culturais diferentes. Cada divindade possui seu momento específico, não ocorrendo mistura de panteões em um mesmo momento. Por exemplo, durante um rito do culto egípcio, realizam-se saudações aos Deuses egípcios e também aos espíritos Piagas, mas não se honram Deuses de outro panteão, apenas os egípcios.

Alguns princípios do Paganismo Piaga: 
1. Politeísmo: Crença e culto a vários Deuses. Os mesmos devem ser amados e respeitados. 
2. Sacralidade da Natureza: Culto aos ciclos Naturais. 
3. Ancestralidade: Os ancestrais são honrados e divinizados. 
4. Virtudes: Cada indivíduo deve nutrir suas virtudes. 
5. Magia: Utilizada como mecanismo de conexão com as forças divinas. 
6. Respeito a diversidade: cada um tem uma essência diversa que deve ser respeitada. 
7. Preservação Cultural: É dever do pagão zelar pela sua cultura. 
8. Família: Ambiente onde o amor os valores pagãos devem ser transmitidos. 
9. Disciplina: Valor fundamental para a jornada espiritual.

Alguns símbolos sagrados do Paganismo Piaga: 
Todos os símbolos pagãos são considerados sagrados dentro do paganismo piaga, mas existem figuras específicas da tradição, algumas são criações modernas, enquanto outras foram gravadas pelas populações nativas em paredes de cavernas e hoje se encontram em sítios arqueológicos.


1. Espiral Dupla: Símbolo da dualidade, dos ciclos da vida, das mudanças e renovações, da energia que circula, da magia e da continuidade.

2. Pentagrama com ramos: Representa a diversidade existente dentro do paganismo. Retrata um pentagrama, símbolo dos quatro elementos em harmonia com o espírito, símbolo da magia e do equilíbrio, símbolo do próprio homem. Na imagem, o pentagrama é rodeado por ramos repletos de folhas que representam as diversas tradições pagãs. As folhas, apesar das diferentes posições e tamanhos, são unidas por um mesmo galho, simbolizando a união que prevalece sobre as diferenças.


3. Cruzes Solares: Podem ter diversos significados, mas geralmente o simbolizam o equilíbrio, os pontos cardeais ou o poder solar. Quando envoltas por um círculo, representam a Terra em equilíbrio. Em forma de "T", estão ligadas ao homem e a fertilidade.


4. Martelos: Símbolos encontrados em vários sítios arqueológicos espalhados pelo Piauí. Gravado em entradas de cavernas, simbolizando demarcação de território, força e proteção. Muito semelhante ao martelo de Thor. 

Algumas divindades específicas do Panteão Piaga:
1. Piaga Alado. Entidade mística alada, possuidor dos dons da pajelança e feitiçaria.


2. Carnaúba. Divindade da providência e salvação contra a seca, a pobreza e a fome.

3. Cabeça-de-Cuia. Entidade guardiã dos rios. Assume aspecto feroz para defender os rios Parnaíba e Poty.

4. Barba Ruiva. Entidade que habita a maior lagoa do Piauí (Lagoa de Parnaguá).

5. Anciã da Fartura (ou Velha do Peito Só). Entidade que assombra estradas jorrando leite para os homens viajantes.

6. Mãe d'água. Divindade guardiã dos rios.

7. Zamba. Entidade guardiã das árvores.

* PARA SABER MAIS SOBRE PAGANISMO PIAGA, ACESSE: 

Postar um comentário

Copyright © 2015 Vila Pagã | Rafael Nôleto Contato | Design Por: OddThemes