A Religião Piaga (Piaganismo) é uma das bases da Vila Pagã, presente no cotidiano da comunidade, nas celebrações, nas músicas e até na arquitetura. Através da Fé Piaga, os membros da Vila Pagã se conectam à energia divina que emana da Natureza e expressam parte de sua identidade religiosa. Essa espiritualidade, autóctone do Piauí, faz parte do sistema denominado Paganismo.


O QUE É PAGANISMO?

O paganismo não é uma religião, mas sim um sistema espiritual que engloba diversas religiões e espiritualidades denominadas "pagãs" ou "neopagãs". A palavra pagão tem origem latina e significa "pessoa do lugar", "morador do campo". Esse termo começou a se popularizar com a expansão do cristianismo na Europa, que passou a denominar de pagãos os que resistiam a dominação cristã e permaneciam com suas crenças e práticas politeístas.
Atualmente o termo “paganismo” é usado para definir várias vertentes religiosas que apresentam traços semelhantes entre si. Esses traços são:
1) Culto politeísta (crença e adoração a mais de uma representação divina);
2) Origem ou raízes pré-cristãs;
3) Centrada no culto à natureza e seus ciclos (honra aos Deuses em festivais, rituais e manifestações representativas dessas forças).
4) Os Deuses estão em todas as coisas. Acreditamos na imanência divina.
5) Valorizamos nossos ancestrais, dando continuidade e lutando pelo resgate das tradições.


RELIGIÕES E VERTENTES PAGÃS

Na atualidade, podem ser encontradas algumas vertentes pagãs que se tornaram mais conhecidas e populares devido ao fenômeno da globalização. Algumas dessas vertentes são o Asatrú (chamado de paganismo nórdico), o Cultus Deorum (paganismo romano), o Kemetismo (paganismo egípcio), o Druidismo (com raízes celtas) e o Piaganismo (Paganismo Piauiense).
Os membros de grande parte das vertentes pagãs conhecidas atualmente também se auto denominam “bruxos”, palavra cuja etimologia é desconhecida, mas suspeita-se que deriva dos termos celtas brixtã (feitiço), bixto (fórmula mágica) ou brixtu (magia).

Procissão pagã realizada na Vila Pagã, em honra ao Deus Netuno


PAGANISMO NO PIAUÍ

As práticas neopagãs surgiram no Piauí por volta da década de 90, sob influência das tendências New Age, implantação de lojas e livrarias voltadas para artigos místicos, insatisfação religiosa com o culto predominante no Estado e a popularização da internet (em especial dos sites de relacionamentos).

A prática da bruxaria de forma solitária sempre foi predominante no Brasil e no Piauí. O fenômeno foi ocasionado especialmente pelas barreiras geográficas, já que em muitos casos, os praticantes e estudiosos da bruxaria moram em regiões distantes uns dos outros, dificultando o contato físico. Esse é um dos motivos pelo qual a internet desempenhou uma função tão importante para a conexão e intercâmbio entre os membros desse movimento.

No Piauí, grande parte dos autodeclarados "pagãos" se denominam adeptos da bruxaria natural, mas a variedade de conceitos e práticas é facilmente identificada entre esses membros.

O ecletismo e as visões pessoais aplicadas às práticas de religiosidades pagãs foram ferramentas de adaptação da qual muitos bruxos locais usaram para adequar suas práticas ao contexto e a realidade que vivenciam.

Apesar de também possuir adeptos do paganismo em várias cidades, é em Teresina que o movimento pagão ocorre com mais notoriedade. Na Capital, as interações possibilitadas pela internet permitiram que os pagãos se encontrassem também no mundo real, em piqueniques e reuniões realizadas em áreas próximas à natureza (o primeiro desses encontros pagãos, possibilitados por intermédio da internet foi realizado por volta de 2006/2007).

Atualmente, grande parte dos pagãos piauienses passaram a integrar o movimento de resgate da ancestralidade sagrada da terra, que engloba o culto denominado como "Paganismo Piaga", que impulsionou a consolidação da Vila Pagã.


PAGANISMO NA VILA PAGÃ


A Vila Pagã é um espaço habitacional, cultural e religioso, de culto politeísta. É um espaço de convivência e difusão cultural baseado nos conceitos e ideologias do paganismo piaga. Esse sistema subdivide-se em diversas linhas de culto à Divindades nativas e estrangeiras (Corrente da Terra e Corrente Colona). Por conta da amplitude de panteões e divindades cultuados na Vila Pagã, é possível encontrar espaços distintos para cultos, de acordo com a origem étnica/cultural. Dessa forma, na Vila temos bosques sagrados dedicados aos Deuses egípcios, helênicos, romanos, celtas, hindus, dentre outros, além dos espaços e monumentos dedicados aos Deuses e Espíritos nativos do Brasil. 

Templo Piaga, na Vila Pagã

Através do documentário a seguir, entenda melhor sobre o Paganismo Piaga e sobre a formação da Vila Pagã.